aguarde...
Buscar

Internacionalização

Desde que realizou esses movimentos, todas as áreas da empresa vêm trabalhando fortemente na integração das operações das subsidiárias. A proposta é aperfeiçoar a gestão local e replicar o atual modelo comercial da Eurofarma nesses países.

Os mercados do Brasil e da América Latina se configuram como uma importante oportunidade para a Eurofarma: a companhia deu seu primeiro passo no sentido da internacionalização em 2009, com a aquisição da argentina Quesada Farmacêutica. Desde então, a empresa vem trabalhando fortemente na integração das operações dessa subsidiária, que, em julho de 2010, passou a atender pela razão social de Eurofarma Argentina.

Prosseguindo com sua meta de internacionalização, em 2010 a Eurofarma adquiriu os Laboratórios Gautier, do Uruguai, com presença também na Bolívia, e a chilena Volta – incluindo a Farmindustria, empresa do mesmo grupo.

Diferente de 2010, quando incorporou os Laboratórios Gautier, Volta e Farmindustria, a Eurofarma ingressou no mercado venezuelano em 2011, o terceiro maior da América Latina, com a abertura da empresa e a contratação de um colaborador a fim de agilizar as submissões de registro nesse país, enquanto a empresa continua atenta às oportunidades de aquisições.

Em 2012, a companhia iniciou suas operações na Colombia por meio da compra de uma planta fabril da farmacêutica Merck Sharp & Dohme. Inicialmente a atividade local se dará na prestação de serviços a terceiros e a MSD será o principal cliente. Essa será a porta de entrada da Eurofarma no mercado colombiano, que é o quinto mais importante da América Latina.

Em 2013, a Eurofarma adquiriu a Refasa Carrión, presente há 57 anosno Peru e, a Laprin - 4ª empresa em prescrição médica no mercado da Guatemala, eque mantém operações também no Panamá, Nicarágua, Honduras, El Salvador, CostaRica e República Dominicana.

Em 2014, se deu o início da operação comercial na Colômbia e aquisição da participação do sócio minoritário no Chile. Também foram abertos escritórios na Venezuela, Paraguai e Equador para a submissão de dossiês. Com isso, a organização passou a cobrir 68,6% do mercado latino-americano.

Desde que realizou esses movimentos, todas as áreas da empresa vêm trabalhando fortemente na integração das operações das subsidiárias. A proposta é aperfeiçoar a gestão local e replicar o atual modelo comercial da Eurofarma nesses países.



Eurofarma, os mercados do Brasil e da América Latina

Copyright ® Eurofarma - Todos os direitos reservados Política de Privacidade Mapa do Site

curtir curta nossa pagina no facebook seguir nos sigua no twitter